quinta-feira, 14 de junho de 2012

A futilidade da Lamentação


O pecado é tão terrível, tão destrutivo para a alma, que nenhum pensamento ou ato humano pode em nenhum grau diminuir os seus efeitos letais. Somente Deus pode lidar com ele com sucesso; somente o sangue de Cristo pode limpar os poros do espírito. O coração que foi liberto deste pavoroso inimigo sente, não tristeza, mas um maravilhoso alívio e incessante gratidão. 
O filho pródigo, ao retornar, honra o pai mais com regozijo do que com lamentação.Tivesse o jovem da narrativa menos fé em seu pai, talvez ficasse tristonho num canto, em lugar de juntar-se à festividade. Sua confiança no amor do seu pai deu-lhe coragem para esquecer o seu passado tristemente marcado. 
A tristeza por um passado pecaminoso permanecerá enquanto não crermos no fato que, para os que estamos em Cristo, aquele pecado pecaminoso não existe mais. O homem em Cristo só tem o passado de Cristo, e este é perfeito e aceitável a Deus. Em Cristo ele morreu, em Cristo ressuscitou, e em cristo ele está assentado no círculo dos favorecidos de Deus. Não está mais irritado consigo mesmo porque não mais centraliza a sua atenção em si mesmo, mas sim, em Cristo; daí, não há lugar para lamentação.

A.W. Tozer
Fragmentos retirados do livro "Esse cristão incrível"
Capítulo 30 A futilidade da Lamentação

domingo, 3 de junho de 2012